O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia (IFRO), Campus Guajará-Mirim, desenvolveu a Ação Cultural “Imagens, Poesias e Canções”. O evento foi uma ação do Núcleo de Extensão em Produção Cultural (NEPC) do Campus Guajará-Mirim a partir do Projeto Cine-IFRO.

Em tempos de atividades remotas, o projeto teve como temática o “Setembro Amarelo” no último dia 30/9. Segundo a coordenadora do projeto, Marcela Lima, “o projeto Cine-IFRO realizado em setembro continuou a exercer sua maior característica: atuar de forma interdisciplinar e como projeto integrador envolvendo as áreas de português, artes e sociologia. Além disso, as mediadoras enriqueceram com seus conhecimentos e experiências o debate que foi extremamente importante e afetivo para todos os envolvidos”.

No mês de setembro o projeto trouxe como mediadoras, que participaram de forma on-line, a Psicóloga Iracema Abranches, de Juiz de Fora (MG), e a Assistente Social Elaine Márcia, que foi servidora do Campus Guajará-Mirim e atualmente está no Campus Porto Velho Calama. Elaine é poetisa e trabalhou com as emoções através da poesia, o diálogo entre as mediadoras e todos os presentes no evento foi extremamente carinhoso e envolvido pelos afetos.

Desde 2014, a Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), em parceria com o Conselho Federal de Medicina (CFM), organiza nacionalmente o Setembro Amarelo. O dia 10 é oficialmente o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio, mas a campanha acontece durante todo o ano, criada com o intuito de informar também sobre a depressão e de debater sobre a problemática de forma ampliada.

As sessões tiveram participação de alunos, servidores e comunidade externa do IFRO. O evento foi obrigatório para os primeiros anos dos cursos técnicos integrados ao ensino médio das áreas de informática e biotecnologia, e também para a turma da Graduação em Ciências Biológicas, especificamente como uma atividade da disciplina de “Psicologia da Educação”, ministrada pela Professora Marcela Lima.

“Considerei extremamente importante a presença dos alunos da graduação, sobretudo, como futuros professores. Objetivou-se observar a mediação das profissionais com os jovens sobre um tema tão difícil e fundamental a ser debatido sempre que possível no contexto escolar. Além disso, é fundamental agradecer aos intérpretes de Libras Dúnia e Laurindo, sempre presentes e atuantes em todos os eventos do Cine-IFRO, fortalecendo ainda mais a inclusão”, ressaltou a Professora Marcela.

De acordo com a Professora de Sociologia do Campus Guajará-Mirim, Maria da Graças Freitas de Almeida, a “alegria em viver, solidariedade, superação e respeito ao próximo foram alguns elementos utilizados no encontro do Cine-IFRO no mês de setembro. O objetivo foi trabalhar a valorização da vida e combater as angústias que vivenciamos no cotidiano potencializadas com o isolamento social. Foram utilizados poemas, relatos e músicas que reforçaram a esperança em dias melhores e a importância de apoio na superação das ansiedades”.

Maria da Graças compõe a coordenação do NEPC e também ressalta que “o evento foi muito significativo, porque reforçou a ideia de que o isolamento não é empecilho para socializarmos e solidarizarmos com quem precisa de ajuda, assim, a atenção e colaboração pode ser o diferencial na superação das aflições em nossas vidas ou de quem necessita”.

Avaliações

Para a convidada Iracema Abranches (doutoranda em Psicologia pelo Programa de Pós-Graduação da Universidad del Salvador – USAL/Buenos Aires/Argentina), “participar do evento foi um presente. A tecnologia nos possibilitou esse encontro e deixou que ignorássemos a distância física, ficamos muito perto uns dos outros, pelos bons sentimentos que nos envolveram. Os assuntos mais difíceis precisam ser conversados, sempre com a certeza de que nunca estamos sozinhos, apesar de sentirmos isso em momentos de dificuldade. A vida é muito mais do que podemos supor. Parabenizo aos professores envolvidos neste Projeto. Vocês são educadores, são construtores de vida. Muito obrigada”.

De acordo com Elaine Márcia (mestranda em Educação pelo PPGEEProf/UNIR) “Sei que este período de isolamento e atividades remotas, em decorrência da pandemia, tem nos causado bastantes transtornos, porém, é inegável que também temos tido oportunidades incríveis de aprendizados. Participar do evento no dia 30 de setembro foi um desses momentos para mim. A maneira dinâmica em que foi organizado proporcionou uma interação única entre os participantes. Foi incrível. Realmente me fez sentir que sou poesia, canção e pensamento. A distância física não foi capaz de quebrar os laços de amizade e nem de apagar o calor humano que foi possível sentir. Gratidão pela oportunidade de fazer parte deste instante único de valorização da vida”.

Para o Professor Etnã de Oliveira Lima, membro do projeto e professor de Informática do Campus Guajará-Mirim: “a Valorização da Vida também é reconhecida pelo Estado Brasileiro na Lei nº 13.819/2019, ou seja, é de interesse público e coletivo; com isso, envolve a Organização das Nações Unidas (ONU) e as instituições de proteção aos Direitos Humanos da América Latina e Caribe, no caso a proteção do direito à vida. O evento foi aberto a toda comunidade interna e externa ao IFRO Campus Guajará-Mirim. O conteúdo exposto foi trabalhado de maneira expositiva e diversificada com poemas, músicas, comentários, relatos, depoimentos, reflexões sobre o valor da vida e o sentimento de alegria e prazer em viver simplicidades do dia a dia. A aceitação e as dinâmicas foram vivenciadas com intensidade pelos participantes do evento. E, conforme o exposto, fica notório o esforço que o IFRO realiza para atender os anseios da sociedade brasileira/humana”.

Conforme o aluno do segundo ano do Curso Técnico em Biotecnologia e bolsista do projeto, Raphael de Aguiar Lopes, “no mês de setembro tivemos mais uma sessão, repleta de conteúdos que valorizam a vida. Sobre isso, gostaria de pontuar todos os esforços dos envolvidos no projeto para levar emoção e inclusão aos alunos do nosso campus”.

Para o aluno do primeiro ano do Curso Técnico em Informática e bolsista do projeto, Marcos Silva, “vivemos e vemos dias bem complicados e difíceis. Não digo complicados por causa da pandemia, ela afeta sim, porém, estar longe dos amigos e viver fechado nos trazem momentos críticos, de memória e de sentimentos ruins. Tudo só vai sobrecarregando, mas o Cine-IFRO vem amenizando isso. Ouvir, sentir as histórias de outras pessoas nos trouxe segurança e esperança. Penso que esse evento teve muito a nos ensinar, mesmo longe aprendemos uns com os outros e percebemos que cada um tem uma luta interna. O Cine-IFRO foi maravilhoso: vídeos, músicas de vários estilos e vídeos de autoajuda, teve muita coisa boa. Para mim foi mágico e foi perfeito”.

Projeto

Segundo a Coordenadora Marcela Lima “é importantíssimo conhecer e dar a oportunidade de conhecer o meio em que estamos inseridos e no qual atuamos como professores e professoras, pois a educação através da arte dialoga com a realidade circundante e desenvolve a capacidade criadora necessária para a modificação desta realidade. Acredito que o exercício da Arte-Educação, através do Cine-IFRO, age como ação propulsora de transformação do ser no mundo, ampliando, assim, suas hipóteses de vida. Para debater e enriquecer o evento, as alunas Estéfane Luricy Flores e Natiely Camargo de Sá escreveram um texto sobre o tema, intitulado: ‘Dias Difíceis hão de Passar’ e emocionou a todos com a leitura que suscitou várias reflexões; o texto produzido foi incentivado pelos professores Antônio Ramiro de Mattos/Português e Maria das Graças Freitas de Almeida/Sociologia, o qual compartilhamos com todos como uma mensagem de incentivo e reflexão”.

“Dias Difíceis hão de passar”

Texto de Estéfane Luricy Flores e Natiely Camargo de Sá:

Para você, o que é a alegria de viver? Essa é uma daquelas perguntas bem profundas que precisam de uma reflexão sobre nós mesmos. E a resposta não sou eu quem vai dar, pois esta pergunta possui uma resposta à parte, variando de pessoa para pessoa, eu apenas posso lhe garantir uma reflexão sobre a sua vida. E no final você tire suas próprias conclusões. Primeiramente, lembre-se de todas as coisas boas que você já vivenciou, foram momentos únicos não é mesmo? Talvez uma saída com os amigos, ou uma risada que dera depois de seu amigo ter contado uma piada, ou os momentos engraçados que tenha passado com sua família, o passeio com seu cachorro, a brisa do vento que tocou seu rosto no final do dia junto com o pôr do sol maravilhoso... Veja o tanto de momentos gostosos que a vida lhe proporcionou até hoje, recordações que ficaram marcadas em sua memória. Aliás, tenho uma dica ótima para relembrar esses momentos. Assim... Coloque uma música que te faça bem, de preferência, aquela bem contagiante que faça até nossos espíritos (obs: se você acredita, é claro), dançarem de alegria e simplesmente, solte sua imaginação com pensamentos saudáveis, para que seu corpo possa refletir saúde. Lembre-se das pessoas que te ajudaram, e daquelas que sempre estiveram ali mesmo sem se mostrar presente, mas você sabia que mesmo longe, estavam com você. Lembre-se da família que você tem, que talvez, mesmo passando por momentos difíceis, é ela que sempre vai estar junto a você, independentemente das circunstâncias. Lembre-se de todos os sorrisos que você favoreceu às pessoas, depois de ter contado algo bobo. Aliás, já parou para pensar nas coisas boas que você proporcionou às pessoas? Talvez indicando uma boa música, um filme, um livro, um canal no youtube etc. Já parou para pensar que, aquela determinada pessoa conseguiu sair de uma tristeza profunda depois de ter recebido uma ajuda sua? Pois é, todos nós temos uma importância grandiosa no coração de cada pessoa. Na vida, há de aparecer pedras em nosso caminho, as quais irão nos fazer pensar que não há esperança, mas saiba de uma coisa, sempre há uma luz no fim do túnel. Marche de cabeça erguida, confiantemente, e com toda certeza, irá vencer os obstáculos da sua caminhada. E, se caso for ferido, lembre-se de que a cicatrizes serão luzes que vão marcar sua vitória. Se você está aqui hoje, é porque você é forte, e aqueles dias ruins que se passaram foram para mostrar que você é capaz de conseguir vencer eles, e não apenas eles, você é capaz de vencer todos os obstáculos que vierem pela frente. A vida é muito mais bonita quando você guarda lembranças positivas e descarta as negativas. Lembre-se: dias ruins hão de passar.


Fonte: Assessoria



Unopar Guajará-Mirim

Para continuar a correr atrás do seu sonho, a Unopar ajuda você. Nossos alunos do EAD contam com transmissões via satélite com professores mestres ou doutores, para não perder nada.

Polo Guajará-Mirim:

Avenida XV de Novembro, 1922 - Em frente ao Ginásio Afonso Rodrigues

(69) 3541-5375

(69) 99357-8293

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem