Após sofrer constantes ataques de calúnias, o médico diretor clínico do Hospital Regional Perpétuo Socorro, de Guajará-Mirim/RO, apresentou sua carta de renúncia ao cargo.

O médico guajaramirense, Leandro Amaro Rocha, estava à frente da direção clínica do HPS, enfrentando inclusive o início da pandemia da Covid-19 e as dificuldades que surgiram naquela unidade hospitalar. O médico buscou a 1ª Delegacia de Polícia Civil para registrar um Boletim de Ocorrência narrando os fatos. De acordo com o médico, uma enfermeira lotada em um cargo no Hospital Regional passou a denegrir a imagem do médico diante dos servidores, pacientes e até mesmo de políticos, e nenhuma providência quanto as ofensas e calúnias foram tomadas.

A enfermeira o acusou sistematicamente de o mesmo não cumprir a carga horária estipulada pelo cargo público, as provocações se referem as frases como: “eu nunca vejo ele aqui” ou “ preciso que esteja mais presente”. Essas frases foram citadas aos funcionários, pacientes e até mesmo as autoridades. O médico pode comprovar essa denúncia por meio da mídia social de um deputado federal que pediu a troca do diretor clínico do HPS, alegando que ele não cumpria horário, a denúncia partiu da profissional de saúde. Para o médico, os demais servidores passaram a acreditar na falsa afirmação da enfermeira, pois passou a ser tratado de forma diferente no ambiente de trabalho. A enfermeira chegou a dizer que o médico não serve para o cargo de diretor clínico, que se ela ganhasse o dinheiro que ele recebia faria o trabalho muito melhor, a profissional também chegou a oferecer o cargo de diretor para outros médicos, mesmo ela não tendo poder de nomeação. O fato é que Leandro Amaro Rocha sentiu-se atingindo com os ataques e afetou sua credibilidade para manter-se no cargo.

Em um grupo de gestão da Covid-19, o médico indagou a enfermeira sobre algumas afirmações e ela confirmou via áudio.

As constantes situações, perduraram cerca de aproximadamente quatro meses, nenhuma autoridade da área de saúde ou até mesmo o prefeito local tomou providências sobre o caso, o médico apresentou sua carta de renúncia no último dia 24 de julho. O médico sabe que uma coisa é lidar com os problemas do serviço, outra coisa é ser humilhado diariamente e ninguém tomar uma atitude.

 Fonte: O MAMORÉ


Creme de café para tomar com leite ou água quente, potes de 500 ml. Café cremosoCafé cremoso fitCappuccino e tradicional. Tome no conforto de sua casa. Encomendas pelos telefones: 9 8429-5200 e 98494-1558 com Tácia ou Carlinhos.  Instagram: @deliciasgourmetdatacia


Unopar

Guajará-Mirim

Para continuar a correr atrás do seu sonho, a Unopar ajuda você. Nossos alunos do EAD contam com transmissões via satélite com professores mestres ou doutores, para não perder nada.

Polo Guajará-Mirim:

Avenida XV de Novembro, 1922 - Em frente ao Ginásio Afonso Rodrigues

(69) 3541-5375

(69) 99357-8293

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem