Por Fábio Marques
A cada pessoa é dado o livre direito de expressar suas opiniões sobre todos os assuntos e ninguém tem o direito de influir sobre as opiniões dos outros. A pretensão de influir suas opiniões aos outros comprova apenas ignorância grosseira a respeito das leis naturais e falta de traquejo para o bom convívio nas relações humanas. Nestes 20 anos de artigos escritos, sempre procurei de maneira incomum explicar tanto fatos e fatores políticos, como parâmetros de correto e errado, de justiça e má consciência, sem empurrar goela-abaixo de ninguém meu modo de enxergar as coisas.
Nos últimos tempos, por conta de artigos pautados nos atos grotescos e atitudes insanas do governo que hoje se instala no Palácio do Planalto, este cronista tem sido vítima de ultrajes por parte de alguns cabeças-de-bagre que mascaram suas hipocrisias com atitudes levianas. Como rústicos hooligans, estes adeptos do fascismo estão partindo para as ofensas dignas de processo e até ameaças.
O pior é o seguinte: como é que se vai discutir com gente desta bitola? São pessoas que não possuem qualquer base sólida para ajustes dos raciocínios e formação de ideias. Aí o que ocorre? Sem qualquer domínio dos assuntos expostos no balcão de discussões, estes bronco-encefálicos em forma de subgente são obrigados a submeter-se ao vexame de copiarem artigos e frases de efeitos da Internet para espelhar suas páginas nas redes sociais. Não leem um livro, não se dedicam ao esforço de pensar com suas próprias cabeças.
Acuados no confronto de opiniões e sem cérebro à altura para responder com o máximo de elegância e o mínimo de cultura, de suas trincheiras virtuais atacam e agridem de forma pessoal, atitudes nada plausíveis que apenas refletem o caráter destes escrotos sem alma. E como cachorros raivosos, vão latindo insultos e calúnias contra aqueles que não operam conforme seus “modus vivendi”. Procuram enlamear a vida e a história de quem discorda de suas posições políticas.
A tolerância para com as opiniões contrárias é o mínimo que se espera de pessoas sensatas e que tem respeito pelas ideias as quais não concordem. Esta é a máxima de Voltaire. Não obstante, como me é de direito, estou deixando de dar espaços para cretinos e medíocres fazerem postagens imbecis nas coisas que publico em meu Facebook. Como? Aciono o engenho disposto no canal digital e aperto Bloquear para colocar em desuso estas pessoas.
Quanto aos demais, vamos continuar mantendo a paz e os ofícios comuns de amizade na cadeia de opiniões adversas com o máximo de respeito.
Post Scriptum: ao criticar atitudes de quem quer que seja nos espaços que me concedem alguns sites de notícias da cidade, espero estar fazendo meu trabalho e cumprindo uma responsabilidade ao qual escolhi. É possível que um ou outro nestas quebradas até comentem que sou agressivo, revoltado, boçal, vaidoso, com sôfrega propensão para encher a carcaça de cerveja. Não nego. Agora vai ser difícil encontrar UM que me chame de falso ou mentiroso.
* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Mamoré não tem responsabilidade legal pela "opinião", que é exclusiva do autor.


Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem