Os veículos ficaram algum tempo parado na frente da casa do prefeito
Cerca de 30 pessoas foram até a frente da residência do prefeito do município de Guajará-Mirim/RO para protestar contra os óbitos por Covid-19, onde entes queridos estão morrendo por falta de condições no Hospital Regional Perpétuo Socorro.

Nos grupos de mídias sociais, durante tarde desta sexta-feira, 15, foi cogitado o protesto, cada um em seu veículo, ir buzinar em frente à casa do prefeito. A concentração ocorreu em frente a concessionária Rodão Motos. Pela rotatória, a comitiva de veículos saiu até o bairro centro, onde reside o prefeito Cícero Alves Noronha Filho. Obedecendo as recomendações, cada participante no seu veículo, mantendo distanciamento.

Um dos participantes disse que o objetivo é “dar uma sacudida” no prefeito, para que outras medidas mais enérgicas sejam tomadas com relação a saúde do município, pois todos os dias moradores do município estão morrendo vítimas da Covid-19, e por falta de meios para entubá-los. “Queremos mais ação, mais participação e cobrança dos vereadores, que sumiram, hoje pode ser um conhecido, amanhã, pode ser um de nossos familiares”, declarou o participante do protesto.

Viaturas do 6º Batalhão de Polícia Militar de Fronteira acompanhou o manifesto, mantendo a ordem, o distanciamento e segurança dos manifestantes. O prefeito Noronha não falou com os manifestantes.
Até a sexta-feira, 15, a Vigilância Epidemiológica divulgou 10 óbitos confirmados para o coronovarírus, o município tem 30 pessoas com caso confirmado e 14 pessoas aguardando resultados.
No entanto os testes estão sendo realizados nas pessoas que procuram as Unidades de Saúde e Hospital Regional, geralmente por estarem se sentindo mal. Outros pacientes estão sendo acompanhados por telefone. E quanto aqueles moradores que apresentam alguns ou todos os sintomas da Covid-19, estão em casa e não estão tendo acesso aos testes, justificando assim que os números não são computados como se quer suspeita. A esses moradores para ter certeza da contaminação do vírus, precisam desembolsar R$ 250 para realizar o teste em laboratório particular ou R$ 270, parcelado em até duas vezes.
Alguns ainda tem a consciência de permanecer em casa, até os 14 dias, afim de não propagar o vírus, e outros que não sentem mais os sintomas e acreditam ter sido vítimas apenas de uma gripe, e seguem com a vida normal, circulando em outros recintos. O isolamento ainda é a maior ferramenta contra o vírus.
 Fonte: O MAMORÉ



Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem