Com a cheia do Rio Mamoré, na fronteira com a Bolívia, a Marinha do Brasil tem intensificado a fiscalização em Guajará-Mirim (RO). Isso porque, com o nível do rio em alerta, é comum a descida de troncos de árvores e pedaços de madeira pelas águas do rio, o que pode atingir embarcações.
Barco da Marinha navegando no rio Mamoré 
Com isso, a Marinha realiza em todo país a Operação Verão: uma campanha de conscientização e fiscalização do tráfego aquaviário nas áreas de maior concentração de embarcações.

Em Guajará, o comandante da Agência Fluvial, Capitão Tenente Gesseniles Oliveira, destaca a atuação do órgão. “Aqui o trabalho é seguido como em todo país, fiscalizando e exigindo dos condutores de embarcações as documentações obrigatórias. Todos os dias, de 8h às 18h, fazemos fiscalizações no rio, e posteriormente temos uma equipe de plantão, para casos de emergência”, disse.

Além disso, a Marinha faz inspeção nas embarcações que entram e saem do município. Entre os itens obrigatórios estão: colete salva-vidas em todos os compartimentos; luzes de navegação; extintores de incêndio e estrados flutuantes (equipamento utilizado em caso de naufrágio).

Para evitar acidentes, a principal recomendação da Marinha é não navegar a noite por causa da baixa visibilidade.



Fonte: G1


Entre em contato com Luís Paulo, coordenador no Estado de Rondônia (69) 9 9956-1515 e obtenha mais informações.


Unopar Guajará-Mirim
O Agrônomo pode trabalhar com ciência do solo e da água economia, engenharia e extensão rural, produção animal e vegetal, empresas alimentícias, indústrias de sementes, grandes propriedades rurais, equipamentos e adubos, além de poder atuar com ensino e pesquisas.

Polo Guajará-Mirim:
Avenida XV de Novembro, 1922 - Em frente ao Ginásio Afonso Rodrigues
(69) 3541-5375
(69) 99357-8293


Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem