Após sucessivas reuniões na Previdência com o Deputado Federal Coronel Chrisóstomo, para tratar da falta de peritos em Rondônia, o Governo Federal decidiu contratar peritos aposentados para zerar a fila de perícias do INSS.

 No país, a média de espera, que em 2015 passava de 60 dias, hoje chega a 11 dias. Mas ainda há lugares onde a espera ultrapassa 45 dias, como em Vilhena (RO).
De acordo com o próprio órgão, os pedidos de benefícios chegavam a 1,990 milhão no ano passado e 1,3 milhão não foram concluídos até agora, ou seja, cerca de 65% dos requerimentos continuam parados à espera de resposta.

 Em mais uma reunião realizada nesta segunda-feira (3) entre o deputado federal Coronel Chrisóstomo e o novo secretário da Previdência, Narlon Gutierre, foi garantido que “Vilhena será contemplada pela contratação de peritos reformados, assim como outros tantos municípios do estado de Rondônia”, anunciou o deputado.

O governo espera zerar nos próximos dois anos um estoque de 5,5 milhões de benefícios como aposentadorias e auxílios. Para isso, a equipe econômica propôs a ampliação do alcance do trabalho dos médicos-peritos do INSS através de peritos inativos.

 Com essa nova medida, o governo busca resolver o atendimento de uma parcela frágil dos beneficiários: deficientes, aposentados por invalidez, idosos e toda população carente.

 Assessoria: Kátia Faggiani

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem