A capital da pecuária de leite e corte do Estado de Rondônia começa a viver um novo ciclo econômico em seu território… Nova Mamoré, que também carrega o status de maior criador de suínos do Estado e com rebanho que ultrapassou as 730.000 cabeças de gado segundo dados da Idaron, vai colecionando outros números extraordinários, como potência na criação de peixe em cativeiro, grande produtor de maracujá, café e, agora,  agricultura mecanizada.
No sábado (01) foi inaugurado o primeiro silo industrial no Município. Os pecuaristas e recentemente agricultores, Laerte Queiroz, Antônio Cristimar e José Luís, recepcionaram dezenas de pessoas no seu mais novo empreendimento de silagem, secagem e armazenamento de cereais, que conta ainda com balança e vários outros equipamentos necessários à infraestrutura do negócio.

Com investimentos na ordem de sete milhões de reais, o silo tem capacidade de secagem de até 80 toneladas de grãos por hora e armazenagem de secador de 120 toneladas. A capacidade de estocagem de cereais é de 100.000 sacas e está localizado bem as margens da BR 425, distante 4.400 metros de Nova Mamoré e a 276 quilômetros dos portos graneleiros na capital do Estado, Porto Velho.
 Nova Mamoré, que antes era visto como um Município fim de linha, pois está localizado na fronteira com a Bolívia e distante dos grandes centros brasileiros, hoje é visto como um Município estratégico no que tange a logística – distância de portos, relevo, área propícia ao plantio e valor das terras relativamente baixo em relação a outras áreas produtivas. Outro fator positivo é sua proximidade com a Bolívia que tem cerca de 10 milhões de consumidores e Manaus com mais de 2 milhões de habitantes. Com uma produção de cerca de 60 sacas por hectare, a soja é o carro chefe dos plantios.

Com clima excelente, sem frio, secas demasiadas ou grandes desastres naturais, a região deve se tornar a nova “Meca” dos investimentos no agronegócio. Nova Mamoré tem 10.000 km², é o 5° maior Município do Estado e tem 46% de seu território destinado a reservas ambientais legais. A maioria das terras está distribuída nas mãos de cerca de 2.000 pequenos produtores e suas estradas rurais tem 1.767 quilômetros de extensão sendo a terceira maior malha viária de Rondônia.

” Vamos plantar e colher muito se Deus quiser”, comemora Laerte Queiroz, que neste ano plantou cerca de 700 hectares de lavoura!

“O mundo precisa cada vez mais de comida, só plantando e colhendo é que vamos conseguir alimentar toda essa gente”, afirma Antônio Cristimar que tem quase 1.500 hectares de área plantada. As colheitas de soja e arroz já começaram na região e o milho deve ser plantado a partir de agora. 
Vários outros agricultores plantaram arroz e soja em  suas propriedades, iniciando seus plantios. 

“Muitos já estão pensando em dividir a propriedade entre o gado e a lavoura”! Comenta allen Cleyton, proprietário da empresa visão rural.

Parceiros importantes na consolidação deste empreendimento: visão rural assistência técnica e Banco do Brasil.

Autor: Claudiomir Rodrigues

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem