Motoristas que trafegam na BR-421, que corta o Vale do Mamoré na rodovia que fica entre Campo Novo de Rondônia e Nova Mamoré sofrem com os mais de 180 quilômetros de estrada ruim. No papel consta que a estrada está asfaltada, mas a realidade é outra. No trecho mais movimentado, que fica entre Campo Novo e Três coqueiros a rodovia está coberta pela água, cheia de buracos e atoleiros.

Devido ao descaso, produtores , pecuaristas e agricultores da região também estão no prejuízo
Em alguns trechos da rodovia, produtores se unem para minimizar os prejuízos. Um trator, foi colocado de prontidão para ajudar quem precisa passar e não consegue vencer os atoleiros. A função dele há anos, é guinchar os ônibus escolares para garantir que os 35 estudantes possam chegar a escola e que os caminhões de leite possam retirar a produção.

O produtor rural Sidelvan Teixeira, conhecido como“COTIA” , que também é vereador em Campo Novo de Rondônia, disse que já pediu ajuda aos deputados, senadores e até ao DER, que informou que o DNIT é que seria responsável pela manutenção. Já o DNIT, disse através de nota que a responsabilidade é do DER, e nesse jogo de empurra e empurra a rodovia vai ficando esquecida.



Fonte: Diário da Amazônia


Unopar Guajará-Mirim
O Agrônomo pode trabalhar com ciência do solo e da água economia, engenharia e extensão rural, produção animal e vegetal, empresas alimentícias, indústrias de sementes, grandes propriedades rurais, equipamentos e adubos, além de poder atuar com ensino e pesquisas.

Polo Guajará-Mirim:
Avenida XV de Novembro, 1922 - Em frente ao Ginásio Afonso Rodrigues
(69) 3541-5375
(69) 99357-8293

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem