A pesquisa de 2012 que reproduzimos abaixo, encomendada por um fabricante de papel higiênico, ouviu 1.283 pessoas. Um dos resultados diz que 25% se incomodariam se soubessem que estão falando no telefone com alguém, bem, ocupado. Já os 57% que se envergonham em banheiros públicos se sentiriam melhores em sanitários do Japão, onde há som de água corrente para camuflar outros barulhos. E a leitura no banheiro, hábito tão popular, incomoda 10% dos consultados. Aliás, onde você está lendo a SUPER agora?
90% das pessoas dizem lavar as mãos todas as vezes que vão ao banheiro. Mas 4 de cada 5 pessoas consultadas disseram que sempre veem gente saindo do banheiro sem nem olhar para a pia. Já segundo outra pesquisa, feita por Zenith Delabrida, 77,6% dos homens lavam as mãos. Entre as mulheres, a taxa é de 85,5%. Em banheiros públicos, 91% das mulheres dão descarga, enquanto só 46,5% dos homens puxam a cordinha.

Há diversas técnicas para o asseio – tanto ao cortar e dobrar o papel higiênico quanto ao jogá-lo fora. A maioria dos entrevistados da pesquisa (53%) usa de 4 a 6 pedaços de papel higiênico para se limpar. 31% das pessoas fazem uma bolinha com o papel. 14% dobram nas linhas picotadas. 12% aplicam outras modalidades (vai saber).

16% dos entrevistados falam sobre relacionamento no banheiro. Banheiros femininos são ambientes diferentes dos masculinos. A socialização durante o cuidado com o corpo, como retocar a maquiagem, é uma prática que remonta à Roma antiga. Já entre homens, o banheiro é mais ligado à sexualidade. Como no mictório. “Heterossexuais se preocupam em não olhar para o lado”, diz a psicóloga Zenith Delabrida. E o que foi deixado no vaso? Para 46% das mulheres, falar sobre xixi e cocô é grosseria.


74% das pessoas leem no banheiro. 47% admitem falar no telefone enquanto estão ocupando o vaso. 11% das pessoas admitiram fazer um lanchinho no banheiro. 57% das pessoas não conseguem evacuar e se sentem constrangidas se houver outra pessoa no banheiro. 56% dos entrevistados dizem sentir vergonha de pedir um pedaço de papel higiênico para a pessoa ao lado, se o rolo tiver acabado.

Duas de cada 10 pessoas não se sentam diretamente no vaso – nem no da própria casa. Em banheiros públicos, a taxa é de 9 em 10. Metade desses precavidos cobre o assento com papel. E 19% usam álcool em gel ou lenços umedecidos. Só 77% se sentem tranquilas na própria residência.

Fonte: Super Interessante


Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem