Após receber uma imagem do registro de uma arma de fogo em seu aplicativo de mensagem, agricultor denuncia chefe de Reserva Extrativista.
De acordo com o agricultor de 39 anos, seu filho de 17 anos limpava a estrada com um trator de pneu, que dá acesso a sua propriedade localizada no Ramal da Borracha, km 42, sítio Menezes, zona rural do município de Guajará-Mirim/RO, quando o chefe da Reserva Extrativista do Rio Ouro (Resex) deu voz de prisão ao seu filho, que se identificou sendo um adolescente de 17 anos. O agricultor disse que não se encontrava na propriedade no momento do fato, então o chefe da Resex mandou um recado para o pai do rapaz solicitando que o mesmo comparecesse no prédio onde funciona o escritório da Resex, localizado no bairro 10 de Abril, no perímetro urbano do município de Guajará-Mirim. No dia marcado pelo chefe, o agricultor compareceu até o prédio e lá foi informado que o chefe da unidade de conservação teria viajado até Porto Velho para deixar no aeroporto sua esposa. O agricultor optou por entrar em contato com o responsável via mensagem, quando o mesmo disse que viajou a Porto Velho levando dois presos, contradizendo a informação repassada no prédio. O agricultor querendo resolver sua situação, então enviou outra mensagem afirmando que a informação não foi essa repassada e que o mesmo havia comparecido conforme o recado recebido. Outras mensagens foram enviadas, onde dizia: “minha esposa é funcionária, ela está trabalhando”, o homem tem conhecimento que não é verdade a outra informação. E em seguida uma outra mensagem foi enviada com uma foto do registro de uma pistola 9mm, sentindo-se ameaçado o agricultor buscou a Delegacia de Polícia e comunicou o fato.

Fonte: O MAMORÉ 

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem