20 de novembro de 2019

Com a Lei de Liberdade Econômica, abertura de empresas em Rondônia cresceu 26% entre outubro e novembro

Em 2018 a Jucer abriu 2.865 processos de registros de empresas, enquanto este ano liberou 3.609, em igual período
Com a Lei de Liberdade Econômica, abertura de empresas em Rondônia cresceu 26% entre outubro e novembro

A desburocratização no registro, da extinção de taxas à dispensa de licenciamentos para algumas atividades, fez aumentar o número de abertura de novos empreendimentos em Rondônia.

Ao fazer o comparativo entre o período de 1º de outubro a 15 de novembro do ano passado e o mesmo período em 2019, o secretário geral da Junta Comercial do Estado, Leilson Costa de Souza, apontou um crescimento de 26% este ano, decorrente da aplicação da Lei nº 13.874, que instituiu a Declaração de Direitos de Liberdade Econômica, estabeleceu normas de proteção à livre iniciativa e ao livre exercício de atividade econômica, dispondo sobre a atuação do Estado como agente normativo e regulador. 
Vende queijos na Feira da Biodiversidade em Guajará-Mirim
Em 2018 a Jucer abriu 2.865 processos de registros de empresas, enquanto este ano liberou 3.609, em igual período. Leilson de Souza analisou na segunda-feira (18) esses dados, apresentando o ranking de empreendimentos comerciais, com predominância do setor de serviços no estado: 58.234 (46,9%), seguido do comércio com 53.159 (42,80%), indústria, 7.845 (6,32%), agronegócio, 3.017 (2,43%), financeiro, 1.304 (1,05%), e serviços públicos, 642 (0,52%).

Segundo o secretário geral, a simplificação tende a contribuir ainda mais para abertura de novos empreendimentos em 2020.


 “O estado está preparado para atender todos aqueles que pretendam abrir seus negócios aqui”, disse o secretário.
  

Os registros de empresas passaram a ser automáticos. Um ponto essencial da lei é a valorização da boa fé, algo tão tratado atualmente pela Rede Nacional para a Simplificação do Registro e da Legalização de Empresas e Negócios [Redesim]. O sistema permite um andamento simplificado e ágil, o que só depende da atenção do cliente.


No final de outubro, a Jucer expandiu para acadêmicos de diversas faculdades o treinamento da utilização do sistema Empresa Fácil, inicialmente em Cacoal, Rolim de Moura e Vilhena; outros municípios virão na sequência.

Além do Sistema Empresa Fácil, eles aprendem legislação básica vigente do registro empresarial, atos de abertura, alteração e baixa de empresas.

Antes dessa Lei, pequenos empreendimentos tinham despesas variando em torno de R$ 600 a R$ 800 quando se tratava de empresa individual de responsabilidade limitada. Somente para começar o negócio, o empreendedor arcava as taxas Dare (Documento de Arrecadação de Receitas Estaduais), Darf (Documento de Arrecadação de Receitas Federais), taxa da Junta Comercial, Consultoria e possíveis taxas de fiscalização.

OS 15 MAIORES MUNICÍPIOS COM EMPRESAS ATIVAS
1º Porto Velho
39.078

2º Ji-Paraná
11.519

3º Vilhena
9.393


4º Ariquemes
8.650

5º Cacoal
7.021

6º Rolim de Moura
4.476

7º Jaru
3.691

8º Ouro Preto do Oeste

9º Pimenta Bueno
3.199

10º Guajará-Mirim
2.872

11º Espigão d’Oeste
2.046
13º Buritis
2.036
14º Machadinho d’Oeste
1.895


15º Alta Floresta d’Oeste
1.662

16º Candeias do Jamari
1.495


Enquanto o prédio de sua sede estiver em reformas, atende na Avenida Getúlio Vargas nº 2607, no Bairro São Cristovão, esquina com a Rua Quintino Bocaiúva.

Fonte: Secom - Governo RO

Veja também:

Últimas Notícias

© Copyright 2019 Jornal O Mamoré | All Right Reserved