25 de setembro de 2019

Preso no Japão, guajaramirense Carlos Ghosn quer pagar multa milionária para liquidar acusações de fraude nos EUA

Carlos Ghosn, responde a acusações de fraudes financeiras nos Estados Unidos e no Japão, onde está preso há quase um ano, resolve se livrar dos anéis para salvar os dedos.
Preso no Japão, guajaramirense Carlos Ghosn quer pagar multa milionária para liquidar acusações de fraude nos EUA

NOVA YORK – Brasileiro nascido aqui em Guajará-Mirim/RO e famoso por seu estilo agressivo como executivo e por ter salvo da falência duas gigantes da indústria automobilística mundial (Renalt e Nissan), Carlos Ghosn, responde a acusações de fraudes financeiras nos Estados Unidos e no Japão, onde está preso há quase um ano, resolve se livrar dos anéis para salvar os dedos. Ele está disposto a pagar uma multa de um milhão de dólares nos estados Unidos para se livrar das acusações de fraudes. Nos Estados Unidos isso é possível. No Japão, ele continua enrolado.
 Carlos Ghosn nasceu em Guajará-Mirim
A Comissão de Títulos e Câmbio dos Estados Unidos afirmou que o ex-chefe do conselho de administração da Nissan Motor, o brasileiro Carlos Ghosn, concordou em pagar uma multa de 1 milhão de dólares para liquidar as acusações de fraude contra ele. Carlos Ghosn é brasileiro nascido aqui em Guajará-Mirim/Rondônia.

Em uma declaração divulgada nesta segunda-feira (23), a comissão disse que o ex-executivo da Nissan, Greg Kelly, e a montadora japonesa também concordaram em pagar multas em um total de 100 mil dólares e 15 milhões de dólares, respectivamente.

O anúncio informa que a remuneração de mais de 140 milhões de dólares, que seria paga a Ghosn durante sua aposentadoria, teria sido omitida dos relatórios financeiros da Nissan.

A Comissão disse que Ghosn chegou a um acordo sem admitir ou negar se as acusações contra ele eram verdadeiras ou não.
No Japão, Ghosn enfrenta acusações semelhantes, mas já se manifestou negando as afirmações.


Fonte: NHK (emissora pública de TV no Japão)

Veja também:

Últimas Notícias

© Copyright 2019 Jornal O Mamoré | All Right Reserved