29 de setembro de 2019

Coluna Almanaque: PARA TODO O SEMPRE...

Por Fábio Marques
Coluna Almanaque: PARA TODO O SEMPRE...

Por Fábio Marques
Setembro é o mês que a eterna musa deste cronista celebra sua entrada no espaço terreno desta vida. E 30 de Setembro, sua data natalícia. Como desvendar a alma e os mistérios desta mulher? Como descrever esta elegante milady de nuances e degradês tão diversos?
Vivemos numa época em que por conta da política casais estão brigando, amigos estão rompendo a amizade e amantes estão fazendo amor muito mal. Não obstante ao inferno astral vigente, esta senhora combate com sua dialética de idéias as posições contrárias às suas opiniões políticas. Ferrenha na defesa de seus princípios e valores, atira pesado contra a hipocrisia e os falsos moralistas. Já fui vítima de bloqueios nas redes digitais por conta de minhas opiniões. E por conta de um maldito bafafá à toa, há poucos dias também fui vítima do bloqueio por parte desta adorável senhora.
Mulher doce e formosa, a doçura que carrega consigo não a impede de ser rápida e objetiva. Madura, dona de suas escolhas, nunca se deixa enquadrar e nem se pressionar por nada ou ninguém. Mulher aguerrida, alto astral, também tem seus altos e baixos humorais, mas sempre supera suas crises e aperreios na vida graças a fé em Deus que até hoje carrega consigo.
Também é chorona. Vai rápido às lágrimas por qualquer discussão. Contudo, como uma Fênix, logo recompõe suas energias, sacode a poeira e dá a volta por cima. De espírito solidário, se comove fácil com as dores e agruras das pessoas carentes e sempre procura ajudar aqueles que precisam. Eis aqui exposto um rápido mosaico da alma de minha amada.
As cátedras de química e física propagam que existe atração entre opostos. Nossa química de almas era perfeita e nossos corpos físicos sempre se uniram em harmonia com as energias de todo o Cosmos. Mas apesar dos pesares, amarei para sempre esta linda, sensual e elegante mademoiselle com todos os contrastes de emoções e atitudes no seu jeito volúvel e mágico de ser.
Não há mais nada para dizer. Tudo o que tinha que ser falado já foi falado a respeito do que este escriba sente em relação a esta senhora. Hoje é cada qual para seu lado. Talvez nunca mais nos vejamos nesta vida. Mas aqui isolado em minha caverna, gostaria que soubesses que muito te amo e estarei sempre presente contigo em espírito. Obrigado por um dia ter sonhado comigo um sonho que foi de nós dois. Meu coração é o reflexo de tudo o que foi sonhado e que um dia se acabou...
Te amarei para sempre minha eterna amada! Feliz Aniversário! Que sejas muito feliz junto à tua família e amigos. Comigo guardarei muitas saudades e doces lembranças de tudo o que fomos um dia. Adeus amor da minha vida... Adeus Beth...
##########
A poesia explica: Estou muito feliz porque você existe. Foi muito bom te encontrar mais uma vez. Foi bom estar com você, te namorar, te dar meu amor e minha paz. Talvez eu te ame. Talvez eu te ame muito. Mas isto é mais uma razão para ficarmos nisso. Acho que um homem e uma mulher se amam muito mais quando sabem do outro apenas uma coisa: que existem. E isto basta para que sejam felizes. Portanto, obrigado por você existir. (Risíveis Amores, Milan Kundera).
* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Mamoré não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Veja também:

Últimas Notícias

© Copyright 2019 Jornal O Mamoré | All Right Reserved