27 de agosto de 2019

Coronel Chrisóstomo cobra atenção para o saneamento básico de Rondônia

De acordo com o parlamentar, a discussão de um novo marco regulatório deve ouvir os estados que apresentam maior dificuldade no setor como o estado de Rondônia.
Coronel Chrisóstomo cobra atenção para o saneamento básico de Rondônia

Titular da Comissão Parlamentar do novo Marco Legal do Saneamento Básico, o deputado federal Coronel Chrisóstomo (PSL-RO), chamou a atenção para a problemática do saneamento básico no estado de Rondônia durante Sessão Ordinária realizada nesta terça-feira (27).

De acordo com o parlamentar, a discussão de um novo marco regulatório deve ouvir os estados que apresentam maior dificuldade no setor como o estado de Rondônia.
“Essa Comissão Parlamentar definirá como o país vai encarar esse desafio nos próximos anos, e não é justo que escutemos só os estados que de uma forma ou outra apresentam um avanço no saneamento maior que estados como Rondônia que tem apenas 2% dos seus municípios saneados”, disse Coronel Chrisóstomo.
A Comissão analisará nove projetos de lei que atualizam a Lei do Saneamento Básico, em vigor desde 2007. O objetivo é retomar o investimento no setor para viabilizar o cumprimento da meta de universalização do saneamento básico até 2033.
Coronel Chrisóstomo requereu e incluiu nas próximas Sessões que especialistas da área em Rondônia sejam ouvidos pela Comissão.
CPI DO BNDES
Ainda na temática, o deputado Coronel Chrisóstomo aproveitou, a presença do novo presidente do BNDES, Gustavo Montezano, durante a Comissão Parlamentar de Inquérito que apura irregularidades no Banco entre os anos de 2003 a 2015, para indaga-lo sobre as novas diretrizes da instituição e os investimentos em áreas estruturantes.
“O grande gargalo para o investimento em saneamento no Brasil é a falta de bons projetos e articulação no âmbito legislativo. Por isso neste novo momento do BNDES iremos priorizar estes projetos, assim como faço um apelo para que os nosso representantes no Congresso se articulem e não deixem essa chance única de investimento passar”, informou Gustavo Montezano.
“É difícil conseguir entender a regra escolhida pelos os antigos gestores do BNDES para investir tanto dinheiro no exterior e deixar de lado, obras importantes para nossos estados como o saneamento. Mas agora é importante olharmos para o futuro e traçarmos uma nova meta de desenvolvimento, e esta é uma bandeira que eu irei defender até o fim”, concluiu Coronel Chrisóstomo.

Fonte: Assessoria

Veja também:

Últimas Notícias

© Copyright 2019 Jornal O Mamoré | All Right Reserved