24 de julho de 2019

Ifro: Estudantes de Guajará fazem estágio no laboratório da UNIR

A parceria oportuniza aos estudantes de Biotecnologia novas experiências durante o estágio obrigatório do curso.
Ifro: Estudantes de Guajará fazem estágio no laboratório da UNIR

Estudantes do IFRO (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia), Campus Guajará-Mirim, tiveram período de estágio no Laboratório de Genética Humana da UNIR (Universidade Federal de Rondônia), em Porto Velho.
Os alunos do Curso Técnico em Biotecnologia foram selecionados via edital interno. O estágio ocorre em duas etapas, a primeira de 17/06 a 22/07 e a segunda ocorre de 22/07 a 02/08. A parceria oportuniza aos estudantes de Biotecnologia novas experiências durante o estágio obrigatório do curso.
Segundo a estudante Laura de Paula, poder estagiar no Laboratório de Genética Humana foi um privilégio. “Ter a oportunidade ofertada pelo IFRO, com todos os amparos possíveis, não tem preço. Tive a oportunidade de trabalhar com pesquisas referentes no Estado e no Brasil, tive a honra de ter a supervisão do doutor Andonai Krauze, no qual foi de suma importância para aprimoramento do que foi visto durante o curso. De fato estagiar em um ambiente onde tudo está em nome da ciência é algo inexplicável, pois você não somente manuseia equipamentos, pipeta reagentes etc, você acaba vivendo tudo isso, fazendo parte também e sentindo no coração a felicidade de poder colaborar com descobertas tão incríveis que geram resultado para a sociedade”.
Maria Isabela Mendes Paiva, estudante do terceiro ano matutino do Curso Técnico em Biotecnologia, “o estágio foi uma experiência muito boa, não só para contribuir com a nossa formação profissional, mas também com o aprendizados para a vida acadêmica. Dentro do estágio na UNIR podemos conviver com os alunos e entender melhor como o meio acadêmico funciona em uma universidade, conhecemos as instalações e vários cursos diversos que a própria biotecnologia atua em conjunto como a Medicina e a Biologia. Além da experiência de estar em um laboratório de pesquisa que colabora para o crescimento do conhecimento da área da ciência no nosso Estado, em relação a descoberta de novas doenças e quem sabe poder contribuir para achar uma cura ou um tratamento no futuro”.
Para o Professor André Menezes, “essa parceria cada vez mais se fortalece, podemos dizer que temos a Universidade Federal de Rondônia como forte parceira no recebimento de nossos alunos estagiando em seus laboratórios. Acredito que essa experiência ajudará os alunos a compreender melhor o papel deles na ciência, além de contribuir para seu aprendizado”.
O docente explica que o estágio envolveu atividades laboratoriais de rotina, nas análises de ácidos nucleicos. Na primeira semana, foram feitos isolamentos de DNA a partir de amostras biológicas humanas (tecido tumoral e sangue total), pertencentes ao repositório do grupo de pesquisa LGH/UNIR. O DNA genômico, isolado durante o período de estágio, foi submetido ao processo de amplificação por técnica de PCR, seguida de eletroforese para visualização do material amplificado, concluindo uma das formas de se estudar material genético.
Durante a segunda semana, foram acompanhadas a produção de bibliotecas genômicas e sequenciamento de 16 amostras tumorais, realizado em sequenciador de próxima geração - NGS ION TORRENT, plataforma utilizada no LGH. O procedimento é uma das formas biotecnológicas mais robustas para estudo de material genético, em que atualmente a tecnologia é usada para estudos de doenças raras e câncer, rastreando mutações causadoras dessas patologias.

Fonte: Assessoria.

Veja também:

Últimas Notícias

© Copyright 2019 Jornal O Mamoré | All Right Reserved