18 de julho de 2019

Acadêmicos de Guajará-Mirim realizam visita técnica na Reserva Extrativista Rio Ouro Preto

Os acadêmicos do 5º período do curso de Licenciatura em Ciências com Habilitação Biologia do IFRO, participaram de uma visita técnica à Reserva Extrativista (RESEX) Rio Ouro Preto.
Acadêmicos de Guajará-Mirim realizam visita técnica na Reserva Extrativista Rio Ouro Preto

Acadêmicos do 3º período do curso de Licenciatura em Ciências com Habilitação em Química ou Biologia e do 5º período do curso de Licenciatura em Ciências com Habilitação Biologia do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia (IFRO), Campus Guajará-Mirim, participaram no mês de junho de uma visita técnica à Reserva Extrativista (RESEX) Rio Ouro Preto, na localidade Base do Pompeu.

Entre os objetivos da visitam estavam: conhecer o modo de vida da população tradicional; verificar as atividades associadas ao desenvolvimento sustentável das comunidades locais e verificar a importância de algumas plantas como babaçu, açaí, seringueira e a castanheira para os extrativistas

Acadêmicos do 3º período do curso de Licenciatura em Ciências com Habilitação em Química ou Biologia e do 5º período do curso de Licenciatura em Ciências com Habilitação Biologia do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia (IFRO), Campus Guajará-Mirim, participaram em junho (dia 9) de uma visita técnica à Reserva Extrativista (RESEX) Rio Ouro Preto, na localidade Base do Pompeu.
Segundo a organização da atividade, dentre os objetivos da visitam estavam: conhecer o modo de vida da população tradicional; verificar as atividades associadas ao desenvolvimento sustentável das comunidades locais e verificar a importância de algumas plantas como babaçu, açaí, seringueira e a castanheira para os extrativistas.
Os moradores da Reserva estiveram organizados durante a Semana do Meio Ambiente (03 a 09 de junho) para receber visitantes, dentro da proposta de Turismo de Base Comunitária. Diversas atividades foram realizadas para demonstrar a vida cotidiana dos extrativistas, como a pesca, a fabricação de farinha, a extração do látex, a coleta de castanha e a exposição de fotos e artesanatos.
Além dessas atividades, houve palestra sobre a história dos extrativistas e a sua importância para a conservação da floresta. A proposta de turismo de base comunitária, iniciada na Semana do Meio Ambiente, vem com o intuito de aumentar a renda da população local, e consequentemente assegurar a permanência na Reserva.
Para a Professora Vanessa Golin, Coordenadora do curso de Ciências Biológicas do Campus Guajará-Mirim, “[...] é muito importante essa ambientação com a natureza, conhecendo e se familiarizando com a riqueza local. A visita apresentou como finalidade o conhecimento da cultura da localidade, assim como conhecimentos que vão além do que se ensina na teoria”.

Fonte: Assessoria.

Veja também:

Últimas Notícias

© Copyright 2019 Jornal O Mamoré | All Right Reserved