As unidades prisionais de Rolim de Moura, Ji-Paraná e Guajará-Mirim deverão contar com fábricas de artefatos de cimento ainda este ano. A viabilização por meio de projetos para aquisição dos equipamentos e das respectivas construções dos barracões estão em fase de estudo técnico pela Secretaria de Estado da Justiça (Sejus).
A proposta da Sejus é adquirir os equipamentos simultaneamente para atender às três unidades carcerárias, que vão utilizar mão de obra de reeducandos na produção dos produtos, como manilhas, blocos, muros e bloquetes, por exemplo. Os artefatos serão utilizados em obras do governo estadual e dos municípios das três regiões que manifestaram interesse por meio de convênios.
“A previsão da aquisição dos equipamentos e das construções dos barracões é para o segundo semestre deste ano”, informou o coordenador de infraestrutura da Sejus, Robson de Sousa, explicando que os projetos das três unidades serão parecidos, diferenciando apenas em detalhes de uma praça a outra conforme a necessidade de demanda produtiva local. “Vamos licitar e comprar as máquinas para as três regiões no mesmo processo licitatório”, afirmou o coordenador.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem