Por Fábio Marques
Muitos reclamam de minhas crônicas dizendo que só critico sem apresentar soluções para os problemas da cidade. Reclamam de minhas redações por demais violentas e marcadas pela revolta ante uma cidade tão pacata, como se este escriba fosse inimigo da paz social.
Meus textos são de um cara amante da paz e ao mesmo tempo da violência. Sou gente da paz quando me proponho a dizer a verdade sem negociar acordos de cala-bocas como ocorre em alguns setores da imprensa de nossa cidade. E faço isso sem medo de enfrentar os podres poderes de qualquer espécie.
Meus escritos são violentos quando resolvo atacar a corrupção e os políticos que assaltam à luz do dia o dinheiro do povo através de promessas vãs, diárias gastas para não trazer nada de retorno, e que estão servindo apenas para enricar os farsantes que enganam a plebe ignorante com falácias e discursos vazios. Sou violento quando ataco políticos que se utilizam da mentira para ludibriar estes cidadãos.
Acho que se o prefeito tivesse mais o que fazer além de viajar para não trazer nada para a cidade, poderia visitar os bairros todos os dias para sentir in loco como está a situação das pessoas. A maioria não tem esgoto, asfalto nas avenidas, está faltando moradias decentes para o pobre cidadão que trabalha, trabalha e nunca mora de acordo com a dignidade humana, está faltando os postos de saúde terem esparadrapo, está faltando um salário mais digno para as equipes de apoio da Educação Municipal (merendeiras, porteiros, zeladoras e vigilantes), está faltando tudo nesta cidade.
E isto não sou eu quem está falando. É a cidade inteira que reclama. São críticas ácidas que todos os dias estão me chegando. Portanto, neste caso em realce, acabo servindo apenas como veículo dos anseios da população. E procuro transmitir tudo aquilo que a insatisfaz. Contudo, não é honesto apenas criticar por criticar sem contribuir com sugestões e propostas para que as coisas melhorem. E para que as coisas melhorem, é preciso que o prefeito adote medidas como as que vou lhes sugerir nos parágrafos abaixo.
Que comece o prefeito fazendo uma faxina em 80 por cento na sua equipe e coloque pessoas com preparo técnico, capazes e se possíveis com bom trânsito no meio político. O prefeito é sabedor que vários nomes de seus homens de frente até o instante não disseram a que vieram e o que fizeram para merecer tais posições. O quadro funcional da prefeitura possui nomes de qualidade e excelência para ocupar tais cargos. São pessoas capazes que com certeza irão dar conta do recado melhor que a cabide de empregos criada pelo prefeito. O trânsito está uma vergonha, a limpeza urbana não dá nem para comentar, a Cultura é ignorante, a Saúde é doente.
Que procure vislumbrar a Justiça Social com a defesa de que sem empresas não há emprego, renda e progresso. Emprego, no vasto campo de atuação significa capital girando nas camadas sociais de menor poder aquisitivo, o que favorece às pessoas o acesso à moradia condigna, educação, saúde, liberdade, lazer, riqueza social e garantias para as futuras gerações.
Para que isto ocorra, o prefeito vai ter que sancionar leis de incentivo para que indústrias venham se instalar na cidade. Mas tudo é questão de vontade política.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem