2 de fevereiro de 2019

Onde está a sua criatividade?

Você já se sentiu como uma folha em branco?
Onde está a sua criatividade?

Você já se sentiu como uma folha em branco?
Um dia você acorda, olha em volta e tem uma sensação estranha de “que chato, tudo sempre igual”.
Talvez se olhe no espelho e reconheça, de súbito, que nem gosta do estilo do seu cabelo.
E pensa: “por que estou usando o cabelo assim?”
A vida, nesta manhã, acordou diferente para você.
Aos poucos, ao longo do dia, vai percebendo que várias atitudes e comportamentos seus parecem não originais, “emprestados” de alguém, de algum personagem ou crença qualquer.
Olhando em volta, todos parecem iguais. As mesmas roupas e cores, o mesmo corte de cabelo e bolsa, sapatos e afins tão parecidos.
O que aconteceu com a originalidade? Que estranho! Quando deixei de ser eu?
É isso, uma folha em branco para recomeçar. E, desta vez, não ficará apenas nas palavras. Será o início de uma nova jornada. Uma jornada que você sempre sonhou e desejou percorrer.
Que jornada é essa?
Todos nós nascemos criativos. Na vida adulta, a criatividade, ligada ao hemisfério direito, é pouco estimulada, assim como a intuição. A criatividade nos ajuda na busca de soluções, mesmo para as coisas mais simples da vida.
A dimensão lúdica, a abertura à imaginação e ao humor é de fundamental importância para uma vida emocionalmente saudável. Uma das formas de desenvolver o potencial criativo seria através da ativação da criança interior.
A nossa riqueza interior vai aos poucos dando lugar aos padrões do senso comum, num progressivo empobrecimento da atividade criativa e intuitiva.
Estimular em nós a retomada da perspectiva intuitiva e criativa da realidade, através da imaginação, da capacidade de brincar, de intuir, de motivar-se para uma vida com mais originalidade, espontaneidade, respeitando a sua individualidade, o seu jeito.
Foi o que aconteceu  com Carl Gustav Jung, psicoterapeuta suíço, que, num momento de enormes pressões exteriores e interiores, buscou na sua criança interior uma fonte de equilíbrio e viu desabrochar a confiança no seu potencial criativo.
É através da criança interior que encontramos as saídas criativas para as situações de conflito, favorecendo a intuição e as melhores soluções.
Autora: Ivete Costa

Veja também:

Últimas Notícias

© Copyright 2019 Jornal O Mamoré | All Right Reserved