Um “piscinão” de água de dejetos de privada a céu aberto toma conta da entrada do presídio de Guajará-Mirim, prejudicando os servidores que ali trabalham, além de prejudicar os detentos e moradores que moram nas redondezas.
A fossa séptica a céu aberto, tem causado grandes transtornos aos servidores, detentos, moradores e demais pessoas que visitam o presídio, pois têm que suportarem os odores que exalam, além de correrem sérios ricos de doenças graves.

Servidores e moradores alertam as autoridades dos riscos iminentes que isso pode causar, podendo ocorrer perdas irreparáveis.

Fonte: Assessoria

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem