Buracos e lamas estão afetando categoria empresarial, dizem comerciantes 
Moradores de Guajará-Mirim (RO), município distante a pouco mais de 330 quilômetros de Porto Velho, estão reclamando da quantidade de buracos e lama nas ruas da cidade. A categoria alega que houve queda nas vendas de até 40%, pois os clientes evitam trafegar em ruas alagadas.

Alguns ciclistas e até mesmo motociclistas andam sobre as calçadas para evitarem os buracos com lama. Além disso, os comerciantes dizem ter uma redução significativa nas receitas e ainda há despesas com a manutenção e troca de peças nos veículos de entrega de mercadoria. 

“O meu ponto é alugado, pago o aluguel e ultimamente não tenho tido um retorno esperado por conta da dificuldade que o pessoal tem em trafegar nas ruas”, disse Jeferson Camargo, autônomo.
Segundo moradores, é comum crianças e mulheres caírem nas poças de lama formadas no período de chuva. 

Manoel Mendez é comerciante e comentou sobre os transtornos causados a quem trafega na Avenida dos Bandeirantes, no bairro Liberdade. 
 
Ciclistas caem em buracos, segundo empresário
“Meus fregueses evitam vir aqui por conta da lama. E quem passa por essas ruas batem nos buracos e caem”, comentou Manoel. 

A Secretaria Municipal de Obras informou que, por enquanto, estão sendo feitas manutenção em áreas mais necessitadas, como escolas e postos de saúde. Por conta do período chuvoso, os serviços de cascalhamento não podem ser iniciados. 

Fonte: G1

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem