Professora Lucila e a nutricionista Gigliane com os jogos de lençóis adquiridos com recursos destinados do juiz Carlos Antônio
Não é a primeira entidade assistencial que recebe no município de Guajará-Mirim/RO benefícios do Tribunal do Trabalho, Vara do Trabalho de Guajará-Mirim, assim como o município de Nova Mamoré receberam. A ação foi uma atitude tomada pelo juiz do Trabalho Titular da Vara do Trabalho que desde que assumiu tem revertido multas em benefícios sociais.
A professora e atual secretária municipal de Trabalho e Assistência Social (Semtas), Lucila Socorro de Oliveira, é também presidente da Associação Beneficente Ser Mulher, localizada no bairro Santa Luzia, no município de Guajará-Mirim. Com o reconhecimento do empenho e boa ação do juiz Carlos Antônio Chagas Júnior, Lucila buscou parceria e de imediato foi firmada. Por meio da Ser Mulher já foi instalada a base de academia na Associação dos Idosos de Guajará-Mirim com recursos cedidos pela Vara de Guajará-Mirim e recentemente a entrega de R$ 2.800,00,  recursos que foram transformados em 40 lençóis, com três peças, para o Abrigo do Menor ‘Doce Lar’. Além de 10 mil reais oriundos de multa revertida para ser ofertadas oficinas aos Bois Bumbás Flor do Campo e Malhadinho, sendo 5 mil reais para cada agremiação, repassados para a entidade Ser Mulher.
Professora Lucila (d) agradeceu imensamente o trabalho social do juiz Carlos (c)
Para a Professora e secretária Lucila destacou que a vindo do juiz para Guajará-Mirim foi um grande presente. “Dr. Carlos é um ser humano de bom coração, que está dois anos e meio aqui e só tem contribuído, não só com a cultura, mas com entidades sociais, como em Nova Mamoré, e aqui, a exemplo da Creche Alan Cardek, Centro Despertar, Guarda Mirim da Polícia Militar, podem não aparecer para alguns, mas Dr. Carlos tem sido um grande amigo da Pérola do Mamoré. É uma enorme perda a transferência dele, já que foi o primeiro juiz do Trabalho no município que teve uma visão diferente, uma visão social. Não tenho palavras para agradecer o magistrado e esse homem de bom coração”, ratificou Lucila.
Ainda estão pendentes outros projetos sociais junto a Vara do Trabalho, que estão em andamento, Lucila tem torcido para que os projetos sejam liberados antes da partida do juiz Carlos Antônio Chagas Júnior, e espera que o seu substituto tenha olhos voltados a comunidade, assim como o atual.
Fonte: O MAMORÉ

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem