4 de outubro de 2016

Candidata de RO que fez campanha com n° errado teve 3 votos válidos

Edilamar Quintão descobriu erro na hora da votação, em Guajará-Mirim. Município tinha mas de 25 mil eleitores aptos para votarem, segundo TSE
Candidata de RO que fez campanha com n° errado teve 3 votos válidos

03/10/2016 19h06 - Atualizado em 03/10/2016 22h27

Candidata de RO que fez campanha com n° errado teve 3 votos válidos

Edilamar Quintão descobriu erro na hora da votação, em Guajará-Mirim.
Município tinha mas de 25 mil eleitores aptos para votarem, segundo TSE.

Jonatas Boni e Júnior FreitasDo G1 RO
Dia de votação em Guajará-Mirim: Candidata a vereadora erra número em santinhos de campanha (Foto: Júnior Freitas/G1)
Candidata a vereadora fez santinhos com n° errado para campanha
A candidata a vereadora Edilamar Quintão (PTN), que descobriu no domingo (2) ter feito toda campanha eleitoral com o número errado, obteve três votos válidos nas eleições de Guajará-Mirim (RO), a 330 quilômetros de Porto Velho. Segundo o Tribunal Regional Eleitoral (TRE), o 'santinho' da vereadora não estava com o número oficial de registro no órgão. Ela só descobriu o erro no momento que foi votar, quando a urna não reconheceu a numeração digitada.
Conforme dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Guajará-Mirim tinha mais de 25 mil eleitores aptos a votarem no domingo, porém apenas 21.776 foram às urnas no domingo para escolher 21 dos mais de 100 candidatos à Câmara de Vereadores. Com a obtenção de 3 votos na urna, Edilamarr teve 0,01% dos votos válidos e ficou na 93ª posição. 
A candidata disse no domingo que fez a campanha e imprimiu os santinhos com o número 19.159. Mas, segundo o TRE, o número correto de Edilamar era 19.789. "Quando digitei apareceu candidato inexistente, então chamei o presidente da seção para ver o que estava acontecendo. Ele conferiu o número e disse que era 19.789. Fiquei frustrada e estou muito decepcionada com isso", disse. 
O chefe do Cartório Eleitoral de Guajará-Mirim, Diogo Lopes, acredita que Edilar foi prejudicada nas eleições, pois o número divulgado na campanha era inexistente e os eleitores não conseguiram votar na candidata.
A candidata registrou um boletim de ocorrência na Delegacia Regional de Polícia Civil e disse que pretende procurar orientação de um advogado.
"Estou me sentindo muito prejudicada, pois agora não dá mais tempo para nada. Vou ser a piada da cidade e com certeza minha candidatura foi por água abaixo. Essa situação é difícil", desabafa Edilamar.

Fonte: G1.

Veja também:

Últimas Notícias

© Copyright 2019 Jornal O Mamoré | All Right Reserved