Nova Mamoré

[Nova Mamoré][list]

Geral

[Geral][bsummary]

Últimas Notícias

[recentposts]

Outras Notícias

[randomposts]

Publicações Legais

[AP][twocolumns]
Navegação
Publicado em 26 de agosto de 2018

Pescadores de Guajará Mirim recebem capacitação

Recentemente foram apresentados os dados do Plano de Manejo de Pirarucu
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Recentemente foram apresentados os dados do Plano de Manejo de Pirarucu
Durante a 11ª Reunião do Grupo de Trabalho de Pesca, foram apresentados os dados preliminares sobre a contagem do estoque pesqueiro da região de Lagos de Cortes de Mercedes, localizado às margens do rio Mamoré, no município de Guajará-Mirim. A atividade é realizada há cinco anos no âmbito do Programa de Monitoramento e Apoio à Atividade Pesqueira, por meio do Subprograma de Apoio à Atividade Pesqueira (SAAP) da Energia Sustentável do Brasil, concessionária da Usina Hidrelétrica Jirau.
De acordo com o especialista Marcelo Crossa, o manejo do pirarucu na região mostrou-se bastante promissor, apresentando viabilidade e sustentabilidade ecológica, econômica e social. Crossa também ressalta a evolução e adaptação dos pescadores na nova forma de manejar com sustentabilidade na pesca, resultando no crescimento da população de pirarucu e de outras espécies que estavam escassas na região de Guajará Mirim, como o tambaqui.
Em 2015, foram contados e estimados cerca de 780 pirarucus, já em 2018, a estimativa é de 2.973 espécimes em 18 lagos avaliados, sendo estes lagos de conservação (lagos para reprodução), manejo (lagos para pesca de pirarucu) e pesca geral (lagos de subsistência e comercialização).
Na reunião também foi informado sobre a Lei Estadual nº 4.324/2018, que estabelece que a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental (Sedam) disciplinará os locais, o período, as restrições e a forma de pesca do pirarucu. Segundo a Sedam, a nova redação da Lei beneficiará os pescadores profissionais artesanais.
O Gerente de Meio Ambiente e Socioeconomia da Energia Sustentável do Brasil, Veríssimo Neto, destaca a importância das reuniões com o Grupo de Trabalho de Pesca. “Através desses encontros é possível avançar com as atividades desenvolvidas pela Usina Jirau em apoio à atividade pesqueira, uma vez que participam tanto os órgãos que regulamentam a atividade como o público-alvo das ações”, conclui.

Capacitação
Em julho, a Energia Sustentável do Brasil capacitou técnicos de órgãos das esferas Estadual, Federal e de instituições não governamentais, como a Colônia de Pescadores Z2/RO e a Cooperativa de Produtores Rurais do Observatório Ambiental Jirau. O objetivo foi treinar os técnicos para auxiliar o grupo de manejadores da Colônia de Pescadores na elaboração e coleta de dados, dando continuidade ao Plano de Manejo do Pirarucu.
A capacitação foi realizada em duas etapas: teórica e prática. Na parte teórica foram abordados os temas: bioecologia do pirarucu, método de avaliação de abundância, introdução à análise de multicritério para ajudar na tomada de decisão, definição dos lagos com perfis adequados para implantação de manejo, metodologias aplicáveis, metodologia de contagem, metodologia de despesca/captura, acordo de pesca e regimento interno do grupo de manejo. Na parte prática, os participantes foram para o campo acompanhar a contagem de um dos lagos de manejo em Guajará Mirim. A experiência proporcionou a troca de saberes entre os pescadores manejadores e técnicos sobre a metodologia aplicada.
Em paralelo ao curso, foi realizada a certificação dos pescadores participantes do Comitê do Acordo de Pesca de Manejo de Pirarucu, baseado na metodologia de contagem. No total, foram avaliados e aprovados dez pescadores artesanais.
- Assessoria

Enviar

O Mamoré

Themelet provides the best in market today. We work hard to make the clean, modern and SEO friendly blogger templates.

Comentários: