Nova Mamoré

[Nova Mamoré][list]

Geral

[Geral][bsummary]

Últimas Notícias

[recentposts]

Outras Notícias

[randomposts]

Publicações Legais

[AP][twocolumns]
Navegação
Publicado em 15 de março de 2018

Operação “Superbia”: PF apreende bens e 09 acusados

Duas mulheres e 07 homens foram presos em Guajará-Mirim. Mais 02 homens na região de Ji-Paraná.
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



Valdo Velho saindo da Delegacia da PF e conduzido para a Casa de Detenção de Guajará-Mirim
O resultado da Operação “Superbia” desencadeado na manhã desta quinta-feira, 15, com a prisão de 09 pessoas, além de bens e 01 arma de fogo, visou combater o crime de “tráfico doméstico” que se ramificava no município de Guajará-Mirim e outros municípios do Estado de Rondônia. (Veja também http://www.omamore.com.br/2018/03/policia-federal-deflagra-operacao-para.html)
Durante coletiva de imprensa
O início das investigações ocorreu cerca de oito meses, onde a Delegacia da Polícia Federal, em Guajará-Mirim passou a investigar os envolvidos. Durante esse tempo, foram constados a ostentação dos envolvidos, e hoje presos na Operação, em redes sociais exibindo bens e viagens. A coletiva com a imprensa guajaramirense, realizada na sede da Delegacia da Polícia Federal, os delegados Heliel Jefferson Martins Costa e Mateus Arcas apresentaram o resultado da Operação realizada simultaneamente nos município de Ouro Preto do Oeste e Porto Velho.
 Logo cedo policiais federais cumpriram os mandados de busca, apreensão e prisões
Dos 22 mandados judiciais, sendo 11 de prisão preventiva e 11 de busca e apreensão, expedidos pela Justiça Estadual em Guajará-Mirim, foram cumpridas as buscas e 09 mandados de prisão, 02 dos envolvidos ainda estão foragidos. Em Rondônia, a Polícia Federal cumpriu mandados nas cidades de Guajará-Mirim e região de Ji-Paraná. 06 veículos, entre carros e motocicleta, bens como aparelhos eletrônicos, 600 reais e 01 uma arma de fogo foram apreendidos em Guajará-Mirim, uma pessoa foi flagranteada pelo porte ilegal de arma. 

Investigação e Prisões
As drogas eram negociadas, o dinheiro era depositado em contas de “laranjas”, em médias movimentavam 100 mil reais ao mês, havia também um financiador que arcava com dinheiro para a aquisição das drogas e posteriormente recebia de acordo com o combinado com os comparsas, que eram negociadas em alguns municípios do Estado de Rondônia, a substância entorpecente era encaminhada por transportes de cargas e em veículos de passeio. A partir de outros municípios as drogas eram negociadas para outros estados do país.
"Valdo Velho"
                                                                               "Scoob"
 "Ratão das Carretas"
 Arthur Pita
           "Orelha"
 O jornal e site O Mamoré acompanhando a Operação identificou alguns dos presos como sendo: Carlos Henrique Silveira, vulgo “Ratão das Carretas”; Helder Júnior, vulgo “Orelha” (investigado em Porto Velho, mas foi preso em Guajará-Mirim); Ricardo Marcelo da Silva, vulgo “Scoob”; Lucivaldo Teixeira dos Santos, vulgo “Valdo Velho”; Arthur Gonçalves Pita; e duas mulheres foram presas, totalizando 07 presos em Guajará-Mirim.
Após interrogados, foram encaminhados ao presídio masculino local e as mulheres ao Albergue Feminino. Todos os presos irão responder por lavagem de capital, tráfico de drogas “doméstico” e associação criminosa.
Fonte: O MAMORÉ

Enviar

O Mamoré

Themelet provides the best in market today. We work hard to make the clean, modern and SEO friendly blogger templates.

Comentários: