Nova Mamoré

[Nova Mamoré][list]

Geral

[Geral][bsummary]

Últimas Notícias

[recentposts]

Outras Notícias

[randomposts]

Publicações Legais

[AP][twocolumns]
Navegação
Publicado em 17 de agosto de 2017

Pai comemora transferência do filho de RO para atuar no futebol paranaense

Dia dos Pais foi especial para a família do ex-zagueiro do GEC, Tenório. Atleta viaja na segunda-feira, 14, para se apresentar no Cambé, de Londrina, PR
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Reossino com o filho Tenório comemoram o Dia dos Pais
O Dia dos Pais neste domingo, 13, teve um grande significado na vida do autônomo Reossino Camargo, que aos 43 anos está realizando o sonho de ver a carreira do filho Tenório como jogador profissional de futebol ganhar um novo patamar na cidade de Guajará-Mirim. O ex-zagueiro do Guajará, que jogou pelo clube em 2016 e também neste ano, vai jogar no futebol paranaense pelo Atlético Cambé, de Londrina (PR).
Por ironia do destino ou simplesmente coincidência, a data tão especial e festejada em todo Brasil será a despedida de pai e filho, pois Tenório, que tem 19 anos, viajará na próxima segunda-feira, 14, para o interior do estado do Paraná, onde se apresenta no Cambé nesta semana.
Para o pai, a viagem do filho é motivo de orgulho e grande honra, pois ele acredita que Tenório irá chegar a jogar pela Série A do Campeonato Brasileiro algum dia. A realidade da família humilde ainda é a casa de madeira, situada no Bairro Jardim das Esmeraldas, mas o sucesso do jogador pode ser a chance de melhorar de vida.
Pai acredita que o futebol do filho pode mudar a situação da família, que atualmente mora em uma casa de madeira no Bairro Jardim das Esmeraldas
– Esse foi o melhor Dia dos Pais que já tive, pois sou um pai orgulhoso, muito feliz pelos meus filhos. O Carlos (Tenório) tem um grande futuro no futebol, estamos muito esperançosos com essa nova fase na carreira dele, sei que dará muitos frutos. Tenho fé no futebol do meu filho, não por ser meu filho, mas porque sei que tem potencial e vai mostrar a todos – declarou Reossino. 
Após o fim do Campeonato Rondoniense, Tenório não parou e passou a jogar pela Escolinha de Futebol Meninos da Pérola em competições amadoras do município. Aconselhado pelo novo treinador, o atleta decidiu investir na função de atacante e mudou completamente seu estilo de jogo, surpreendendo a todos pelo potencial demonstrado durante os jogos.  
O resultado de tanto treino e esforço resultou na artilharia isolada em duas competições distintas, o que para ele significou muita coisa, já que jogou a vida inteira como zagueiro e jamais havia tentado ser atacante.
– Foi mais do que eu esperava, não pensei que teria rendimento ali, mas todos acreditaram em mim e agora eu já estou adaptado. Gostei de fazer gols, me dei bem nessa nova função – conta o jogador.
A ida para o futebol paranaense aconteceu através dos Meninos da Pérola, que organizou e acertou a ida do atleta junto ao Cambé. A oportunidade de jogar fora de Rondônia e dar seguimento à temporada chegou e trouxe a esperança de viver dias melhores, já que se permanecesse em Guajará-Mirim Tenório só jogaria novamente como profissional no Campeonato Rondoniense de 2018 pelo GEC.
– Amo minha família, estou feliz por estar ao lado do meu pai neste dia. Hoje tenho a chance de sair daqui e crescer, vou atrás disso e quero alcançar grandes resultados na minha carreira. O Guajará foi um clube que abriu as portas e me profissionalizou, mas eu preciso seguir em frente e continuar trabalhando forte para ser reconhecido no futebol – diz o jovem atleta.
Enquanto o momento da viagem não chega para despedida oficial, Tenório curte a família e o Dia dos Pais com seu “velho”, como ele carinhosamente chama o pai. Ainda neste domingo, o jogador se apresentou normalmente às atividades nos Meninos da Pérola e participou do treino coletivo no campo da Polícia Militar (PM) pela última vez com os companheiros de equipe.


Fonte: Globo Esporte

Enviar

O Mamoré

Themelet provides the best in market today. We work hard to make the clean, modern and SEO friendly blogger templates.

Comentários: