Nova Mamoré

[Nova Mamoré][list]

Geral

[Geral][bsummary]

Últimas Notícias

[recentposts]

Outras Notícias

[randomposts]

Publicações Legais

[AP][twocolumns]
Navegação
Publicado em 10 de fevereiro de 2017

Adolescentes são apreendidos com revólver municiado em Guajará-Mirim

Suspeitos foram abordados pela PM no Bairro Santa Luzia. Um deles tentou reagir e foi baleado no braço com munição de borracha.
Adolescentes foram apreendidos com arma e
munição
Dois adolescentes, ambos de 17 anos, foram apreendidos durante uma abordagem da Polícia Militar (PM) na madrugada desta sexta-feira (10) portando um revólver calibre 38 com cinco munições em Guajará-Mirim (RO), cidade distante cerca de 330 quilômetros de Porto Velho. Segundo a PM, os suspeitos foram detidos por volta das 2h30 no cruzamento das avenidas José Cardoso Alves e 21 de Junho, no Bairro Santa Luzia.
De acordo com o boletim de ocorrência registrado pelos policiais, uma denúncia anônima informou que vários suspeitos estavam utilizando uma residência para consumir drogas e guardar objetos furtados e roubados. Quando as guarnições da PM chegaram ao local, um dos suspeitos saiu correndo e conseguiu fugir, já os outros dois que permaneceram foram abordados.
Segundo os PMs, durante a ação, um dos adolescentes que estava com arma na cintura esboçou reação e fez menção de que iria sacar o revólver para atirar, para proteger a integridade física das guarnições e também do suspeito, os policiais atiraram com munição de borracha no braço esquerdo do infrator.
Após o disparo, os suspeitos foram apreendidos e o que levou o disparto com munição de borracha no braço foi levado para o pronto socorro do Hospital Regional Perpétuo Socorro, onde foi medicado e em seguida conduzido para a 1ª Delegacia Regional de Polícia Civil.
O Delegado de Polícia Civil Lawrence Lachi informou que o caso foi encaminhado para a Delegacia Especializada em Crimes contra a Criança e o Adolescente, onde será lavrado um Boletim Circunstanciado (BC) por ato infracional análogo ao porte ilegal de arma de fogo.
“Eles serão ouvidos e posteriormente encaminhados ao Ministério Público (MP), mas a princípio não é caso de internação porque não houve violência contra a pessoa. A legislação diz que só há internação mediante violência ou grave ameaça, mesmo portando a arma de fogo, aparentemente não agiram com violência, diferentemente se eles houvessem praticado um assalto, por exemplo”, explicou.


Fonte: G1
Enviar

O Mamoré

Themelet provides the best in market today. We work hard to make the clean, modern and SEO friendly blogger templates.

Comentários: