Nova Mamoré

[Nova Mamoré][list]

Geral

[Geral][bsummary]

Últimas Notícias

[recentposts]

Outras Notícias

[randomposts]

Publicações Legais

[AP][twocolumns]
Navegação
Publicado em 5 de fevereiro de 2017

Adaptados ao GEC, reforços buscam titularidade e querem fazer história

Adenkule, Gean, Iury Real, Lucas Real, Erik e Yuri Maia foram contratados como reforços para 2017 e querem fim do jejum de títulos do time de Guajará-Mirim
Reforços do Guajará
Os seis reforços do Guajará para a temporada 2017 estão sorrindo à toa. Já adaptados à cidade e ao clube onde vão atuar, os jogadores ganham aos poucos o tão desejado espaço na equipe titular comandada pelo técnico Celino. O zagueiro Adenkule, além dos meias Gean, Iury Real, Lucas Real e os atacantes Erik e Yuri Maia chegaram no plantel como esperanças de acabar com o jejum de títulos do time, que já dura 17 anos.
Independente se o título for ou não para o Guajará-Mirim, os jogadores já entraram para a história do Glorioso, exatamente por serem de fora do estado. Tudo porque o GEC jamais contratou ninguém de fora para jogar o estadual; o elenco sempre foi formado exclusivamente por pratas da casa, moradores do próprio município. Esta é a primeira vez que o clube buscou reforços que não sejam locais.
 Dos seis atletas, três já são considerados titulares absolutos no esquema 4-3-2-1, adotado pelo treinador. Adenkule, Iury Real e Lucas Real conquistaram as vagas durante os treinamentos da pré-temporada e agora só pensam em manter a pegada para continuar no grupo dos 11 jogadores iniciais nas partidas. Enquanto isso, Gean, Erik e Yuri Maia correm por fora para encher os olhos da comissão técnica e tentar conquistar um lugar ao sol.
O GloboEsporte.com conversou com os seis contratados do Glorioso para saber sobre a adaptação ao futebol guajaramirense e também da expectativa da estreia no Campeonato Rondoniense.

Adenkule
O defensor veio de Brasília, DF, e chegou em Guajará-Mirim em novembro de 2016 para participar da pré-temporada desde o início, estando melhor fisicamente que todos os outros que vieram depois. Com apenas 22 anos, o jovem que tem descendência nigeriana sonham em um dia chegar na seleção, ou do Brasil ou da Nigéria.
Treino do GEC
– Quero dar seguimento na minha carreira e conquistar grandes coisas no futebol. Se um dia alcançar o nível de jogador de seleção, jogaria na que me chamasse primeiro. Estou confiante que faremos um bom campeonato e que o Guajará sairá campeão – diz timidamente.

Gean
Aos 25 anos, Gean vai alcançar o que era improvável no futebol moderno: a profissionalização. A história do rapaz que saiu do distrito de Jaci-Paraná serve de inspiração para os garotos que sonham em um dia fazer sucesso no esporte. Mesmo considerado “velho” para iniciar a carreira, o meia acha possível brilhar no estadual e ser reconhecido pelo seu talento.
– O impossível só existe para quem não tem fé. Eu sou a prova disso, quero deixar a mensagem para os mais jovens que é possível realizar os sonhos, só basta perseverar e correr atrás. Vou dar meu máximo com a camisa do Guajará – declarou emocionado.

Iury Real
Simples, curto e objetivo, esse é Iury Real, de apenas 17 anos, o jogador mais jovem do elenco do Guajará, de Brasília, DF. Para ele só existe uma forma de fazer história: sendo campeão.
– Não tem muito o que falar não, dentro de campo a gente vai mostrar nosso trabalho e todo mundo vai ver. Não vim passear, vim fazer história – promete.

Lucas Real
Também de Brasília, DF, o irmão mais velho de Iury Real, o meia Lucas é o mais experiente do grupo. Com apenas 22 anos, se profissionalizou há sete temporadas e tem passagem por vários clubes do Brasil, inclusive o Grêmio, na Série A do Brasileirão.
– Estou trabalhando forte para ter meu espaço e ajudar o time no que eu puder. Estou me sentindo bem e a torcida pode esperar qualidade em campo, estou confiante – disse.

Erik
Mineiro e quietinho, o atacante de Três Marias, MG, Erik, de 20 anos, chegou para ser uma das armas ofensivas de Celino. Acostumado a marcar gols por onde passou, o ponta de lança acredita que terá sucesso quando a oportunidade cair em seu colo.
– Tem um ditado que diz que atacante que não faz gol morre de fome, mas não será o meu caso, esse ditado vai passar bem longe de mim. Farei meu melhor dentro de campo, podem esperar – falou em tom de descontração.

Yuri Maia
Último a chegar em Rondônia, o atacante Yuri Maia veio de Fortaleza, CE, para ser a cereja do bolo no ataque alvirrubra. Velocista e finalizador, foi sincero na apresentação e não prometeu gols, mas disse que vai mostrar muita vontade em campo.
– Nem sempre os gols vão sair, porque às vezes as coisas não saem como planejado, mas posso ser útil de todas as formas. Dando assistências, marcando a saída de bola, dando carrinho, o que for preciso. A expectativa é boa, vou trabalhar forte para ganhar minha chance como titular, minha hora vai chegar – espera o goleador.
Faltando pouco mais de um mês para a estreia no estadual, o GEC marcou dois amistosos para finalizar a preparação antes da estreia. Os adversários serão dois times amadores, o X-Treme do distrito de União Bandeirantes e um selecionado do Iata e Nova Mamoré, nos dias 5 e 12 de fevereiro, respectivamente. Os jogos são uma chance de ouro para os jogadores mostrarem serviço em campo e cravar as vagas como titulares.

Fonte: Globo Esporte.

Enviar

O Mamoré

Themelet provides the best in market today. We work hard to make the clean, modern and SEO friendly blogger templates.

Comentários: