Nova Mamoré

[Nova Mamoré][list]

Geral

[Geral][bsummary]

Últimas Notícias

[recentposts]

Outras Notícias

[randomposts]

Publicações Legais

[AP][twocolumns]
Navegação
Publicado em 13 de junho de 2016

"É só questão de tempo" diz diretor do GEC sobre chance de chegar a final

Glorioso terminou o segundo turno em quarto colocado, com 13 pontos, após vitória sobre o Genus. Segundo dirigente, jogadores entraram com "sangue no olho"
Para muitos a campanha do Guajará no Campeonato Rondoniense desta temporada acabou sendo surpreendente, já que o time encerrou sua participação lutando até o último segundo por uma das vagas na final do returno. Os resultados obtidos ao longo das 14 partidas no estadual foram bem diferentes de 2015, quando ficou na lanterna no primeiro e segundo turno, além de ser o único time a não marcar nenhum gol.
A vitória de 2 a 1, de virada, sobre o atual campeão Genus, deu muita moral ao Glorioso, mas apesar de todo esforço a vaga na decisão não foi possível. O resultado acabou ajudando o Ji-Paraná a chegar à final. Com a vitória de 4 a 0 sobre o Ariquemes, o Galo da BR chegou aos 14 pontos e ultrapassou GEC e Genus na tabela, terminando em segundo, somente atrás do líder Rondoniense.
Para o diretor de esportes do Guajará, Paulo Figueiredo, a campanha não foi uma surpresa, pois o clube voltou ao futebol profissional em 2015, após uma década de afastamento. Segundo ele, o planejamento inicial da diretoria é que o GEC voltasse a ser campeão rondoniense em até cinco anos, sendo este o segundo ano.
Paulo Figueiredo, diretor de esportes do Guajará
- A gente sabia que neste ano seria tudo bem diferente, não fiquei admirado de ver até onde chegamos. Este foi apenas nosso segundo campeonato, esse título vai chegar para nós mais cedo ou mais tarde, é só questão de tempo. Acredito que em 2017 vamos vim ainda mais fortes para tentar ser campeão e conquistar uma vaga em alguma competição nacional. Sentimento de alegria por ver toda a evolução e ter tirado o time mais estruturado de Rondônia. Os jogadores entraram nesse jogo com sangue no olho - comentou Figueiredo.
O dirigente ressaltou ainda que a derrota no jogo da sexta rodada do segundo turno, contra o Ji-Paraná, foi o que determinou que o GEC não chegasse à final.
- Aquela era a única partida que não poderíamos ter perdido, ali foi a chave de tudo, o que definiu nossa saída. Se tivessemos ganhado deles, a gente estaria na final hoje contra o Rondoniense, mas não podemos ficar remoendo o passado, agora já foi - relembrou.
Para encerrar, Paulo disse ainda que a base do time será mantida para a próxima temporada, mas que a permanência do técnico boliviano Hernán Oliveira não é certeza, pois depende de uma nova negociação com o treinador.
- O contrato com o Hernán acabou, pois era somente para o estadual. Temos interesse em mantê-lo, mas precisamos conversar. Somos o único time do estado que só usa pratas da casa, isso tem que ser valorizado e reconhecido. Para o próximo ano vamos manter toda a base buscar uma melhor estrutura. Seremos campeões somente com pratas da casa. Todos os nossos atletas são amadores, ninguém vive da bola, mas ainda sim conseguiram grandes vitórias contra equipes que gastam até o que não tem para contratar jogadores de fora - finalizou.
Com a próxima temporada bem longe e o futuro incerto, o elenco do GEC voltou à normalidade de empregos em empresas privadas e atuações em campeonatos amadores da cidade. Segundo a diretoria, alguns amistosos estão programados ainda para este ano, mas sem data e adversários definidos.

Fonte: Globo Esporte.
Enviar

O Mamoré

Themelet provides the best in market today. We work hard to make the clean, modern and SEO friendly blogger templates.

Comentários: