Nova Mamoré

[Nova Mamoré][list]

Geral

[Geral][bsummary]

Últimas Notícias

[recentposts]

Outras Notícias

[randomposts]

Publicações Legais

[AP][twocolumns]
Navegação
Publicado em 17 de junho de 2016

Campanha contra H1N1 encerra com meta superada em Guajará-Mirim

Objetivo era atingir 80% dos grupos prioritários. Mesmo com o final da campanha, pacientes ainda podem ser vacinados.
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Nuvepa concluiu a meta de vacinação em Guajará-Mirim.
 A campanha de vacinação contra o vírus H1N1 encerrou no último dia 12 com 88% dos grupos prioritários vacinados em Guajará-Mirim (RO), município localizado a 330 quilômetros de Porto Velho. Segundo o Núcleo de Vigilância Epidemiológica e Ambiental (Nuvepa), a meta inicial era atingir 80%. Durante toda a campanha, cerca de 60 servidores vacinaram aproximadamente 15 mil pessoas.
O 'Dia D' da campanha foi realizado no dia 30 de abril em todo Brasil, mas no município os atendimentos já haviam iniciado duas semanas antes como medida de precaução em relação ao número de casos da infecção no estado.
Ao G1, a coordenadora da rede de imunização do Nuvepa, Keila Sicsú, informou que mesmo após o término oficial da campanha, as vacinações ainda podem ser feitas nos postos de saúde Carlos Chagas (no Bairro Almirante Tamandaré), Sandoval Meira (no Bairro Serraria) e Maria Augustinho (no Bairro 10 de Abril).
"Ainda estamos atendendo os grupos prioritários nos horários das 8h às 12h e das 14h às 17h. Importante ressaltar que não temos vacinas para toda a população, vamos priorizar os casos com prescrição médica. Alcançamos a nossa meta, mas estamos trabalhando para quem sabe chegar a 100%. O paciente que for nos postos precisa levar o cartão de vacina, mas caso não tenha, nós damos um novo no local", disse a servidora.
Os grupos que são considerados prioritários são os de idosos acima de 60 anos, crianças de seis meses até quatro anos, grávidas, puérperas até 45 dias, índios, trabalhadores da saúde, pacientes com doenças crônicas e presos.
Keila ressaltou ainda que as crianças de seis meses até quatro anos precisam tomar a segunda dose, 30 dias após a aplicação da primeira dose da vacina. "Já deixamos um estoque armazenado para atender essa demanda. Esse lote só vence em 2018, caso ainda sobre, iremos continuar vacinando os pacientes que se deslocarem até os pontos de vacinação ao longo do ano inteiro", encerrou.
Ainda de acordo com o Nuvepa, uma equipe foi designada para a zona rural, onde irão atender os pacientes dos grupos prioritários que ainda não receberam a vacina. A previsão é que os atendimentos sejam finalizados até o final de junho.

Fonte: G1.
 

Enviar

O Mamoré

Themelet provides the best in market today. We work hard to make the clean, modern and SEO friendly blogger templates.

Comentários: